UM SILÊNCIO QUE DÓI

O Senhor nos mostre o melhor caminho

Nossa creche vazia, um silêncio que dói!!! Estamos sem a alegria barulhenta das crianças que aquecia nossos corações todos os dias. Esperançosos seguimos em frente trabalhando por esta comunidade que precisa tanto de nós.

Cedinho vi da janela, bem distante em meio à poeira e caixas d’água, a alegria que tanto nos faz falta, os prediletos do Senhor, pois como Ele mesmo diz, delas é o Reino do Céu e de quem com elas se parecerem, NOSSAS CRIANÇAS!

Trabalhando nesta comunidade, Deus me deu o presente que qualquer educadora gostaria de ter, vê-las assim, longe de tablets, celulares e brinquedos eletrônicos, realidade esta que presenciei durante estes 29 anos trabalhando em escolas particulares de renome. Aqui Jesus renovou a minha vocação. Hoje, como coordenadora pedagógica, fazendo parte desta missão que vai além de educar, tenho o privilégio de ver nossas crianças sendo crianças de verdade, brincando com o inusitado, sendo criativas, aproveitando de fato a infância, pé no chão, riso largo, sem mimi, sem as frescuras tão próprias das crianças de hoje em dia.

E me veio aquele aperto no peito! Até quando, Senhor? Nossas crianças fora das escolas e aqui, largadas nas ruas ou dividindo um cubículo abarrotado de gente, muitos sem água e estrutura de saneamento básico.

E pensei: onde nossas crianças correm mais risco durante esta pandemia? “Isoladas” em casa ou aqui na creche, onde recebem 5 refeições ao dia, “papa gotoso”, como dizem, banho fresquinho, soneca da tarde, educação, evangelização e o principal, conversa ao pé do ouvido com Jesus Eucarístico na Capela todos os dias?

Que o Senhor nos mostre o melhor caminho…

Deia,

Coordenadora Pedagógica da Associação Cristã Santa Clara

Comentários